Vigilância alerta para número de criadouros em residências

Secom-PMP

O aumento de casos de dengue, com 361 casos já confirmados, ainda não impactou para a redução do número de criadouros encontrados pelo Serviço de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Penápolis. Na ADL (Avaliação de Densidade Larvária) foram encontrados inúmeros criadouros do mosquito Aedes aegypti dentro das residências.

Durante a pesquisa realizada neste mês, o ADL atingiu o índice de 0,8%, o que significa que em 800 imóveis foram encontrados criadouros. Em janeiro deste ano, o índice foi de 1,62%, o que apontava o risco de epidemia. O encarregado da Vigilância Epidemiológica, Franklin Cordeiro, relata que mesmo com a redução do percentual, Penápolis ainda se encontra em situação de alerta.

“O índice considerado aceitável pelo Ministério da Saúde é de no máximo 1%. Estamos no limite, porém durante as visitas, encontramos muitos focos de larvas nas residências. Bebedouros de animais e pratinhos de plantas foram os criadouros mais encontrados pela nossa equipe”, relatou Cordeiro.

Para realizar a Avaliação de Densidade Larvária, a cidade é divida em três áreas, onde são vistoriadas residências escolhidas aleatoriamente. O resultado demonstra em quais regiões foram encontrados mais criadouros e, portanto, possuem maior risco de transmissão.

“Pela avaliação, observamos que na região central da cidade foi encontrado o maior número de criadouros. As demais regiões, apesar de um menor índice, não estão em situação confortável. Precisamos de um envolvimento e comprometimento da população em combater o mosquito”, enfatiza o encarregado.

Casos
Até o dia 28 de maio, foram registrados 344 casos positivos já confirmados por exame laboratorial, 17 casos confirmados por exame clínico epidemiológico, e outros 1.420 aguardam a confirmação por exame laboratorial. 

Com relação a óbitos, a cidade tem quatro casos confirmados decorrentes da dengue. Um deles é de uma mulher de 33 anos ocorrido em 17 de março, outro de uma mulher de 85 anos em 18 de abril, e o terceiro de uma mulher de 30 anos ocorrido em 12 de maio. Há mais um caso confirmado, um óbito de homem de 91 anos ocorrido em 19 de maio.

Existem outros seis óbitos suspeitos, em investigação epidemiológica e aguardando exames. São cinco homens: um de 57 anos ocorrido em 15 de abril, outro de 80 anos ocorrido em 19 de abril, um morador de 86 anos com óbito no dia 06 de maio, homem de 88 anos falecido no dia 10 de maio e um homem de 56 anos com óbito no dia 26 de maio. Há ainda um caso suspeito de óbito em uma mulher de 68 anos no dia 08 de maio. Os exames são realizados pelo Instituto Adolpho Lutz, credenciado pelo Ministério da Saúde. 

Fonte: Secom – PMP