Vereadores penapolenses querem usar máquina pública para defesa de interesses pessoais

Jean Rizk

No último dia 26/05/2020, foi aprovado o requerimento de nº 63 de autoria dos vereadores Adalgiso do Nascimento (Ziza), Carlos Alberto Soares da Silva (Carlão), Francisco José Mendes (Tiquinho), José Antônio Ferres Chacon (Cabeça), Reginaldo Sacomani (Nardão) e Roberto Delfino, que solicitava autorização para que a assessoria jurídica da Câmara de Vereadores de Penápolis promova queixa-crime e ação indenizatória.

Segundo informado pelos próprios vereadores na tribuna, a fundamentação seria baseada em supostas acusações feitas durante uma carreata que visava a reabertura do comércio em Penápolis.

Um dos integrantes da carreata teria afirmado que vereadores receberiam parte de dinheiro supostamente desviado pelo prefeito.

Ainda diante da fala dos vereadores na tribuna, ficou evidenciado que nenhum deles teria sido citado nominalmente.

Os vereadores que votaram a favor do requerimento foram:
– Adalgiso do Nascimento (Ziza),
– Carlos Alberto Soares da Silva (Carlão)
– Francisco José Mendes (Tiquinho)
– José Antônio Ferres Chacon (Cabeça)
– Reginaldo Sacomani (Nardão)
– Roberto Delfino

Já o vereador Rubens Bertolini se absteve na votação.

Vale destacar que o assessor jurídico da Câmara de Vereadores de Penápolis, que ocupa cargo comissionado sem ter sido admitido via concurso público, não pode defender os interesses particulares dos vereadores, sendo que para tanto é necessário que os vereadores contratem seus próprios advogados e paguem com o seu próprio dinheiro.