Vereador vira réu por corrupção passiva

Jean Rizk
- Publicidade -

Dentro do contexto das investigações envolvendo o desvio de verbas públicas destinadas à gestão da saúde – que apuram vários crimes e apontam diversos participantes – o vereador de Penápolis José Antonio Ferrez Chacon, vulgo “Cabeça do Coletivo”, virou réu por suspeita de ter praticado o crime de corrupção passiva (quando um funcionário público recebe ou aceita vantagens indevidas para fazer seu trabalho).

Na decisão datada do último dia 07, o juiz Marcelo Misaka afirma que há fundadas suspeitas de que o vereador tenha atuado em defesa da organização social envolvida, no sentido de viabilizar sua contratação pelo município, com o objetivo de indicar pessoas para exercer cargos na entidade:

“Consoante o item II.3 da denúncia (fls. 15884/15890), um dos vereadores beneficiados teria sido JOSÉ ANTÔNIO FERREZ CHACON, vulgo Cabeça, porque em troca da votação favorável foi beneficiado com vagas de empregos na organização social a pessoas por ele indicadas”.

As conclusões dos investigadores foram retiradas de interceptações telefônicas, cujos participantes são em especial os vereadores Cabeça do Coletivo, Carlão da Educação, o secretário de saúde Wilson Carlos Braz e o médico Cleudson Garcia Montali.

O processo segue com prazo para apresentação de defesa dos acusados.

Processo nº 1500061-64.2019.8.26.0438 – 1ª Vara de Penápolis.

- Publicidade -