SMMAS inicia ações de inventário da fauna silvestre no Município de Araçatuba

Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMMAS), com o objetivo de subsidiar e dar diretrizes para ações de adequações ambientais no município, iniciou um trabalho de levantamento da biodiversidade com foco na fauna silvestre em áreas urbanas da cidade. Este estudo é importante pois o conhecimento sobre a fauna silvestre é o ponto de partida para definir áreas prioritárias para a conservação, bem como para dar subsídio à tomada de decisões relativas ao manejo da fauna silvestre, às análises de estudos e relatórios de impacto ambiental, aos programas e ações de educação ambiental, entre outras políticas públicas que trazem melhorias para todos.

“O período é oportuno para a realização desse trabalho, tendo em vista que, com os parques fechados devido a pandemia, colaboradores e vigias da SMMAS já têm relatado o avistamento de animais silvestres que passaram a se aproximar de zonas ecologicamente ativas em áreas urbanas, como é o caso do Parque da Fazenda e do Parque Ecológico Baguaçu que tem seus ecossistemas conectados ao grande Corredor Ecológico das Áreas de Preservação Permanente do Ribeirão Baguaçu”, explica o secretário da SMMAS, Lucas Savério Proto.

O trabalho ocorrerá ao longo de doze meses e está sendo inicialmente realizado por biólogos da SMMAS que irão inventariar as espécies da avifauna e mastofauna, apenas por métodos não invasivos de observação e levantamento, visitando matas em áreas de preservação permanente na área rural e em 3 grandes áreas verdes na área urbana de Araçatuba, sendo: Parque Ecológico Baguaçu, Parque Municipal da Fazenda e fragmento de floresta no Zoológico Municipal Dr. Flávio Leite Ribeiro.

A ação em campo será complementar ao esforço em pesquisa bibliográfica, a fim de compilar artigos e inventários pré-existentes. Cidadãos, estudantes, professores, empresas ou demais instituições que possuírem informações relevantes relacionadas à fauna ou levantamentos sobre espécies locais, concluídos ou em desenvolvimento, poderão disponibilizar informações ou colaborar entrando em contato pelo email da SMMAS: smmas@aracatuba.sp.gov.br .

Colaboradores da SMMAS enviaram alguns registros já obtidos para que possamos divulgar. A proposta é que através das imagens e informações, habitantes locais passem a conhecer as características das espécies e importância de sua preservação, tendo em vista que conhecer é o primeiro passo para que todos possam conviver, respeitar e preservar os animais nativos da nossa cidade.

Garça-moura (Ardea cocoi)

A garça-moura é uma ave presente em todo território brasileiro, considerada a maior das garças do Brasil, com uma envergadura de até 1,80m.

Habita beiras de lagos, rios, riachos, estuários, manguezais, pântanos e alagados.

Em Araçatuba, é avistada ocasionalmente no Parque Ecológico Baguaçu e na lagoa do Zoológico Municipal. A garça-moura pesca pequenos animais em lugares mais fundos dos lagos, onde as outras garças não conseguem alcançar. Seus vôos, além de solitários, são em linha reta, com lentas batidas ritmadas das asas, muito características.

Foto: Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, Parque Ecológico Baguaçu, 02/07/2020

Pica-pau-de-testa-amarela (Melanerpes flavifrons)

Também conhecido como Benedito, é um pica-pau de tamanho médio, multicolorido, barulhento e que gosta de exibir suas belas cores vivas, as quais o caracteriza.

Alimenta-se de frutos e insetos, faz seu ninho em troncos de árvores e palmeiras.
Em Araçatuba, é encontrado na área do Parque Municipal da Fazenda e no bosque do Zoológico Municipal.
E você, já conhecia esta espécie?
Comece a observar nas árvores, com atenção e paciência, e se surpreenderá com as belas espécies que habitam nossa cidade.

Foto: Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, Parque Municipal da Fazenda, 15/06/2020

Cutia (Dasyprocta aguti)

A cutia é um roedor de porte médio, de pelos grossos e não espinhosos que se eriçam em momentos de estresse. Alimentam-se de frutos, folhas, sementes e raízes. Possuem um importante papel ecológico de dispersora de sementes, pois enterram frutos e sementes para os períodos de escassez e muitas vezes não voltam a buscar, além da maneira tradicional de dispersão das sementes através das fezes.

Em Araçatuba, observamos facilmente as cutias perambulando pelo bosque do Zoológico Municipal e no Parque Municipal da Fazenda. Quando nos aproximamos, elas fogem em disparada, dando saltos.
Você já observou esse animal nos nossos Parques?

Foto: Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, fragmento de floresta do Zoológico Municipal, 15/06/2020

Bugio-ruivo (Alouatta guariba clamitans)

Quem já ficou assustado com as vocalizações de um grupo de bugios e não sabia o que era? Bugios são macacos cuja característica mais marcante é a forte vocalização, que pode ser ouvida em até cinco quilômetros de distância, dependendo do local, e durar vários minutos. Tal característica é possível em razão da presença do osso hioide, bastante volumoso neste gênero, que funciona como uma caixa de ressonância para o som. Mas atenção, apesar do poderoso som que emitem, os bugios não apresentam perigo algum às pessoas!

Nesta espécie, observamos um dimorfismo sexual (fêmea e machos diferentes), sendo os machos adultos de coloração ruiva-avermelhada brilhante com reflexos dourados e as fêmeas são castanho-escuras a quase negras.

Em Araçatuba, os bugios-ruivos podem ser encontrados no Parque Municipal da Fazenda. Geralmente em grupos de aproximadamente 6 indivíduos, no alto das árvores.

Um detalhe interessante e que muitos desconhecem é que bugios também vivem livres no fragmento de floresta na área do Zoológico Municipal, mas aqueles são bugios-preto (Alouatta caraya), cujo dimorfismo sexual difere do bugio-ruivo, sendo o macho adulto de cor preta e a fêmea e jovens castanho-amarelados. As duas espécies ocorrem em Araçatuba pelo fato da região estar no limite da distribuição territorial destas duas espécies.

Foto: Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, Parque Municipal da Fazenda, 03/07/2020

Cachorro-do-mato (Cerdocyon thous)

O cachorro-do-mato é o canídeo brasileiro mais conhecido.

Possui uma dieta ampla, que varia de acordo com a disponibilidade de alimento no ambiente.

O cachorro-do-mato costuma andar grandes distâncias, normalmente sozinho ou mais raramente, aos pares. Em Araçatuba, ele habita fragmentos de matas e áreas de proteção permanente do município, e por meio delas, tem acesso aos Parques, onde é avistado ocasionalmente.

Foto: Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, Parque Municipal da Fazenda, 15/06/2020

Fonte: Prefeitura Municipal de Araçatuba