Seria a criação do estúdio de gravações uma tentativa de burlar eventual exoneração de comissionado?

- Publicidade -

Além de já ter realizado gastos de cerca de 300 mil reais com câmeras e equipamentos para a transmissão das sessões, a Câmara de Vereadores de Penápolis realizou recentemente mais um gasto de R$ 33.300,00 (trinta e três mil e trezentos reais) para equipamentos que serão utilizados em um estúdio de gravações da TV Câmara. Veja o edital aqui.

Visto que não existe o menor interesse público na criação de tal estúdio de gravações, inclusive na manutenção da TV Câmara que não traz qualquer benefício para a população, causa-nos enorme estranheza a realização de tais gastos.

Seria então, uma forma de burlar uma eventual ordem de exoneração de ocupante de cargo comissionado, da mesma forma como foi feito na tentativa de criação da Secretaria de Negócios Jurídicos?

Fica aqui o registro para quando os efeitos da decisão do Processo de nº 0005277-22.2015.8.26.0438 passarem a valer, onde o desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo já declarou seu posicionamento para fins de Ação de Arguição de Inconstitucionalidade de dois cargos de caráter técnico e que atualmente são ocupados por comissionados.

- Publicidade -