Saúde alerta para criadouros do Aedes no cemitério

Secom-PMP

O Serviço de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Penápolis alerta aos munícipes a respeito de vasos e demais recipientes encontrados sobre túmulos e jazigos no Cemitério Santa Cruz. Devido às constantes chuvas desta época do ano, estão sendo encontrados muitos recipientes com água acumulada, favorecendo a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus, febre amarela e chikungunya.

Sendo assim, o serviço informa aos familiares que a partir da próxima segunda-feira, dia 17, os vasos e demais enfeites que forem encontrados naquela necrópole contendo água parada serão recolhidos pela equipe de servidores do setor.

“Pedimos aos familiares que tenham interesse, que compareçam aos locais de sepultamento de seus entes queridos e regularizem a situação no máximo até esse domingo, levando os vasos para casa ou colocando areia até a borda para evitar acúmulo de água. Do contrário, nossa obrigação é retirar tudo, pois enfrentamos a ameaça de uma nova epidemia de dengue”, alertou o encarregado do Serviço de Vigilância Epidemiológica, Franklin Cordeiro.

“Infelizmente temos de agir assim. Não podemos deixar criadouros para o mosquito. A quantidade de vasos com esse problema é muito grande, e se torna um enorme risco para a população. Por isso pedimos a colaboração dos familiares”, acrescentou ele.

“Nossa intenção não é proibir que alguém preste homenagem aos seus falecidos, mas os vasos sem areia até a borda e com enfeites plásticos são criadouros em potencial e serão recolhidos para preservar a saúde da população. A chuva e o calor criam condições favoráveis para o mosquito e só pioram a situação. Pedimos a compreensão da comunidade”, frisou Franklin.

Em 2020 a cidade registra 64 casos positivos de dengue. Outras 123 pessoas aguardam resultado de exames.

Fonte: Secom – PMP