Rotatória da Bonolat entra na fase de execução da capa asfáltica

Secom-PMP

Na última semana a empresa Viamari Engenharia e Construções deu início ao processo de implantação da capa asfáltica, em um dos lados do dispositivo de acesso à indústria de laticínios Bonolat e às Chácaras Greenville. A obra, conhecida como “rotatória da Bonolat”, teve início no final de abril e se localiza na rodovia Arnaldo Covolan.

Contratada via licitação pública para executar a obra, a Viamari já concluiu todos os serviços de terraplenagem da via que passa ao lado da entrada das Chácaras Greenville.

A empresa já iniciou a implantação da capa asfáltica naquele trecho, entretanto, em razão da chuva ocorrida nos últimos dias, teve de interromper o serviço para secagem completa do terreno. O asfalto é em material CBUQ (concreto betuminoso usinado a quente), com espessura de 5 centímetros.

Enquanto os serviços são executados, todo acesso às chácaras vem sendo feito pela Estrada do Mineiro.

Segundo informou o engenheiro Antônio Carlos Altimari, a próxima fase do serviço será voltada para drenagem, com construção de galerias pluviais no trecho. O projeto ainda contempla sinalização de trânsito e sistema de iluminação.

O engenheiro explicou que a empresa vai concluir primeiro um dos lados do dispositivo de acesso e liberá-lo ao tráfego, para depois passar ao outro lado, que fica na margem onde se situa a indústria Bonolat.

Ele ainda explicou que, ao mesmo tempo em que é efetuada a capa asfáltica, os funcionários da Viamari já estão adiantando a terraplenagem do lado oposto, para agilizar o processo.

O valor investido no empreendimento é de R$ 3.097.328,97. A obra garantirá o acesso em segurança tanto para a indústria de laticínios Bonolat quanto para os moradores das Chácaras Greenville. O dispositivo ligará a Rodovia à malha viária urbana do município, por meio das vias marginais, facilitando o acesso aos bairros Jardim do Lago II e Residencial Flávia. 

De acordo com o contrato de prestação de serviço da empresa, existe uma previsão de conclusão dos trabalhos em até seis meses.

Fonte: Secom – PMP