Projeto rejeitado acabaria com eventual uso político de fila de cirurgias, exames e consultas

Foto/Jean Rizk

O projeto de lei de autoria da vereadora Ester Sezalpino Mioto, que estabeleceria a obrigatoriedade da lista de espera por consultas, exames, cirurgias e outros procedimentos na rede pública de saúde do município através do site da prefeitura de Penápolis, foi rejeitado com 7 votos contrários e 4 favoráveis.

Obviamente, ao divulgar a lista de consultas, exames, cirurgias e outros procedimentos na rede pública municipal de saúde, acabaria se tornando muito mais complicado para que políticos tentassem favorecer seus “eleitores”, já que todos saberiam que determinada pessoa estaria “furando a fila”.

Apenas a vereadora Ester e os vereadores Bruno Marco, Evandro Tervedo e Rodolfo Ambrósio foram favoráveis ao projeto de divulgação da lista de espera.

Bastava apenas que se divulgasse um protocolo a ser gerado ou o nome da pessoa, sem qualquer risco de exposição das pessoas.

Diante de tais fatos, resta-nos apenas o seguinte questionamento.

A quem interessa evitar a transparência de tais procedimentos e qual o motivo?