Político está distribuindo produto clandestino à empresas de delivery de comida de Penápolis

Jean Rizk

Recebemos uma denúncia na última sexta-feira (17/04/2020) de que um político estaria distribuindo grandes quantidades de “cloro” e máscaras à empresas que estão trabalhando com delivery de comida na cidade de Penápolis/SP.

Nossa equipe já estava investigando algumas declarações públicas deste mesmo político, especialmente a que informava o nome da empresa e a quantidade de “cloro” produzida por dia.

Ao verificarmos os registros públicos da empresa junto à CETESB, verificamos que tal empresa NÃO POSSUI AUTORIZAÇÃO PARA A PRODUÇÃO, ARMAZENAGEM OU FRACIONAMENTO DA MATÉRIA PRIMA HIPOCLORITO DE SÓDIO, POPULARMENTE CHAMADA DE CLORO, sendo que a mesma está meramente autorizada a produzir equipamentos para tratamento de piscinas.

Em levantamento feito por meio de dados disponíveis eletronicamente, verificou-se que a capacidade de geração de cloro nas máquinas produzidas pela empresa não passa de 01% de cloro por litro de água, sendo que para ao menos ser considerada como água sanitária, o INMETRO exige ao menos 02% de cloro por litro de água.

Já para ser considerado o mesmo cloro que é vendido ao consumidor, a concentração de cloro por litro deve ser muito mais alta.

Diante de denúncia, conseguimos localizar um veículo com as mesmas características do que estaria sendo usado pelo político, estacionando próximo a uma empresa de delivery e ao perceber que estava sendo filmado, manteve o veículo ligado e com os faróis acesos sem que ninguém saísse do mesmo, até que depois de algum tempo desistiu e foi embora do local.

Conseguimos um exemplar do “cloro” que foi distribuído, sendo verificado que o produto está sendo entregue em embalagens reutilizadas de outros produtos químicos não compatíveis, além de não possuir o odor característico da substância cloro, assim como constatado posteriormente que sua densidade também seria incompatível.

É necessário esclarecer que por se tratar de um produto que, em tese, foi produzido de forma clandestina, a população deve ficar ciente que a probabilidade do produto não ter capacidade saneante suficiente para a higienização contra o Coronovírus é enorme.

Não arrisque a sua saúde e da sua família confiando em produtos de origem duvidosa fornecidos por políticos em ano eleitoral!