Maio Amarelo: Ação alerta para segurança no trânsito

Secom-PMP

Foi realizado na tarde de ontem (23), um pedágio educativo para alertar sobre a segurança no trânsito. A ação faz parte do Movimento Maio Amarelo, com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito. O alerta foi realizado aos motoristas que trafegavam próximo à rotatória de acesso ao bairro Cidade Jardim.

O pedágio também será realizado na tarde de hoje no mesmo local e foi organizado pela Secretaria Municipal de Trânsito e Mobilidade Urbana, Polícia Militar, Polícia Rodoviária, Concessionária Via Rondon, DER (Departamento de Estradas de Rodagem), Corpo de Bombeiros e Tiro de Guerra 02-027. Segundo o secretário de Trânsito, Mauro Olympio dos Anjos, a imprudência no trânsito é uma das maiores causas de acidentes.

“Os motoristas devem entender que respeitar as leis de trânsito, a velocidade máxima e a sinalização das vias, é fundamental para garantir a segurança de todos. Em Penápolis, temos observado um aumento no fluxo de veículos, por isso, é cada vez mais necessário ter esta consciência e dirigir com responsabilidade”, destacou o secretário.

Segundo dados do Movimento Maio Amarelo, os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. “São dados alarmantes que demonstram os impactos da imprudência no trânsito, principalmente na faixa etária mais jovem”, enfatizou o secretário.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) estima que 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito em 2020, alcançando a quinta maior causa de mortalidade, e 2,4 milhões, em 2030. Nesse período, entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes a cada ano com traumatismos e ferimentos. 

Desta forma, o Movimento Maio Amarelo tem a intenção de colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos. Órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para discutir o tema e promover ações de conscientização.

Fonte: Secom – PMP