Jabutis do Zoo de Araçatuba são tema de pesquisa universitária

Prefeitura Municipal de Araçatuba

O aluno do 4º ano do curso de Medicina Veterinária da Unesp de Araçatuba, Gabriel Rocha Ferreira, apresentou pesquisa com os jabutis do Zoológico Municipal de Araçatuba Dr. Flávio Leite Ribeiro no Congresso do Abravas (Associação Brasileira de Veterinários de Animais Selvagens). O Congresso aconteceu de 8 a 11 de outubro, na cidade de Florianópolis, em que Gabriel apresentou o trabalho em forma de pôster.

A pesquisa, orientada pelo professor Marcelo Vasconcelos Meireles (Unesp Araçatuba), consiste na detecção de um tipo de protozoário, os Cryptosporidium, nos jabutis cativos do Zoológico. Tal protozoário é comum em vertebrados em geral e acomete o sistema gastrintestinal dos animais. No Brasil, há relatos de criptosporidiose em serpentes, porém, não havia nenhuma descrição do parasito em quelônios.

O parasita é eliminado pelas fezes, por isso, para a pesquisa, foram coletadas fezes de 89 jabutis. A detecção de DNA de Cryptosporidium spp foi realizada pela técnica de PCR na Unesp de Araçatuba.

Três amostras apresentaram resultado positivo. A baixa prevalência encontrada pode ser explicada pela possibilidade dos animais já terem desenvolvido imunidade ao protozoário e estejam eliminando oocistos em pequena quantidade, sem apresentarem sinais clínicos.

A bióloga do Zoo, Fernanda Andrade Bueno, ressalta a importância de pesquisas em Zoológicos: “Na atualidade, os zoológicos em geral vêm deixando de ser somente um local de entretenimento e lazer, mas principalmente de educação ambiental, pesquisas e conservação da biodiversidade. E a presente pesquisa com os jabutis representa um exemplo de contribuição para o conhecimento dos animais selvagens que os zoológicos podem oferecer”.

O zoológico de Araçatuba abriga 117 jabutis (Chelonoides carbonaria e C. denticulata). A maioria desses animais são provenientes de apreensão da Polícia Ambiental por posse doméstica ilegal ou abandono. É comum a posse de jabutis em casas, o que representa um problema, pois além de ser ilegal possuir animais silvestres (Lei nº9605/1998 – Crimes Ambientais), depois de algum tempo, muitas pessoas não querem mais e abandonam os animais, inclusive, na própria área do bosque de Araçatuba.

Fonte: Prefeitura Municipal de Araçatuba