Campanha política é mais importante que a saúde da população?

Reprodução

Enquanto comerciantes, empresários e grande parte da população respeitam as restrições da quarentena, sendo impedidos de trabalhar e seguir com suas atividades cotidianas, políticos tem usado esse mesmo período para a realizar sua pré-campanha.

Vale salientar que a pré-campanha em si não é algo ilícito, mas realizá-la quando se deveria respeitar as restrições da quarentena é no mínimo moralmente reprovável.

Recebemos recentemente vídeos de um sistema de segurança de um estabelecimento comercial em Penápolis, onde um pré-candidato foi até o local em questão acompanhado de uma pessoa não identificada, sem que nenhum deles realizasse qualquer compra dos produtos ali vendidos, apenas abordando clientes e funcionários para fazer a promoção da sua pré-campanha a prefeito durante as restrições impostas pela quarentena.

Nos vídeos gravados em junho de 2020, foi possível identificar o pré-candidato Caique Rossi falando sobre sua pré-candidatura, uma vez que o sistema de segurança não só registrou os vídeos, como os áudios também.

Estamos desde o dia 14 de julho de 2020 tentando obter respostas aos questionamentos enviados ao pré-candidato Caique Rossi, seja por Whatsapp, SMS, mensagens via Facebook e contato telefônico.

Conseguimos contato telefônico na tarde do dia 17/07/2020, mas o pré-candidato alegou que estaria em uma reunião familiar e que assim que terminasse iria responder os questionamentos.

Dentre os questionamentos realizados e não respondidos, o pré-candidato foi questionado se teria algo a falar sobre os fatos narrados e se na opinião dele a realização da pré-campanha seria mais importante do que respeitar a quarentena.

Além disso, foi solicitada a justificativa para as visitas aos estabelecimentos comerciais, uma vez que sequer foram comprados produtos.

Infelizmente, não tivemos qualquer resposta até a publicação desta matéria.

Caso qualquer algum leitor tenha vídeos ou imagens de outros pré-candidatos desrespeitando a quarentena, basta nos enviar o material para que possamos analisar e periciar, antes de publicá-lo.