Áudios do prefeito Célio colocam em dúvida os reais motivos por trás do centro de referência do Covid-19

Foto: Jean Rizk
- Publicidade -

Dois arquivos de áudio têm circulado em dezenas de grupos de Whatsapp, nos quais o prefeito Célio de Oliveira afirma que a implantação do Centro de Referência do Covid-19 se trata de um projeto para atender às necessidades de uma determinada faculdade de medicina local após o término da pandemia.

Segue a transcrição de um dos áudios referidos áudios do prefeito Célio de Oliveira:

Então a chance nossa é justamente. É toda uma situação estratégica. Estratégica. Porque se a gente mantivesse uma situação dessa lá dentro da Santa Casa. Acabou o Covid, a gente não ia ter mais nada. É o contrário, entendeu? Agora ai não! Ai é um projeto pensado da maternidade escola que a gente vai montar, pra justamente atender essa questão da faculdade de medicina. Então é uma coisa mais ampla, um negócio mais estratégico. Planejado. Pensado. Idealizado. Entendeu? Não é um negócio assim: óh, vamos lá e vamos reabrir. Até porque hoje não sei se você sabe, esse prédio ai é alugado pela Santa Casa. Inclusive a Funepe por ter a faculdade de medicina, ela sabe que ela precisa desse espaço para aumentar a quantidade de leitos. De leitos SUS. Para poder fazer a residência dos meninos e das meninas que estão fazendo a faculdade como o seu filho. Entendeu?

E a transcrição do outro áudio:

“Na Santa Casa a gente não tem. O governo, ele quer criar centros de referência. Sempre que possível. Ele quer criar centros de referência. E outra coisa. Você se engana. A hora que eu estiver com essa estrutura pronta, acabou o Covid, você pode ter certeza que vai ser ocupado por um equipamento de saúde para a população. A gente vai ter um outro hospital ai. Aliás eu já estou com o projeto pronto no governo. Né. Não quero que você divulgue. Confio na sua discrição. Não quero que você passe isso pra frente. Mas eu estou com um projeto de uma maternidade. Um projeto para a área de maternidade com UTI neonatal ai pro hospital Luiz Valente. O projeto foi apresentado junto com o pessoal da faculdade de medicina da Funepe. Então é engano seu. Pelo contrário, nós estamos estrategicamente fazendo já essa estrutura, porque essa estrutura nunca mais vai sair dai. A realidade é essa.”

Vale lembrar que um dos áudios também foi divulgado pela vereadora Ester Mioto durante a última sessão da Câmara de Vereadores de Penápolis.

Ao ser procurado por nossa reportagem e indagado sobre a veracidade do áudio em questão, o prefeito Célio de Oliveira afirmou que o áudio seria uma resposta que teria sido dada para uma munícipe e que não era a dona Ester, sendo que não teria dado autorização para encaminhar o áudio.

O prefeito Célio de Oliveira foi questionado se o áudio não enfraqueceria a real necessidade do Centro de Referência do Covid-19, já que segundo o áudio, o interesse maior seria suprir os interesses da faculdade de medicina, uma vez que a necessidade de hospital para médicos residentes de instituição de ensino particular não é de interesse público.

Diante deste questionamento, Célio de Oliveira afirmou que não enfraquece nada e que projetou o que poderá se fazer no local, já que tramita um projeto de maternidade regional e UTI neonatal SUS no Governo do Estado de São Paulo, no pós covid-19.

Ao ser solicitada cópia do protocolo do referido projeto, o prefeito Célio de Oliveira apenas informou que o projeto em si vinha sendo formatado quando ocorreu o problema da pandemia, e que as tratativas teriam sido iniciadas no começo de 2020.

Por fim, o prefeito Célio de Oliveira foi questionado se não havia o risco de ocorrer o mesmo fato ocorrido com a não implantação do AME naquele local e acabar não sendo autorizado também.

Como resposta, o prefeito afirmou que se não for autorizado, tudo o que o Poder Público investiu de equipamentos será trazido para ser usado nas unidades de saúde e que as chances de conseguir a maternidade regional seria muita grande.

- Publicidade -