Aterro sanitário de Penápolis recebe nota 9,7 da Cetesb

Secom-PMP

A Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) publicou o Inventário Estadual de Resíduos Sólidos Urbanos referente ao ano de 2019. O aterro sanitário de Penápolis obteve a nota 9,7, em uma escala de 0 a 10, mantendo a classificação de condições adequadas de operação.

O IQR (Índice de Qualidade dos Aterros Sanitários) avalia aspectos do manejo dos resíduos sólidos, como compactação e cobertura de terra, questões estruturais, como isolamento visual, além de cuidados com o meio ambiente, com a drenagem de gases e proteção do lençol freático. 

O índice IQR publicado agora pela Cetesb se refere à avaliação realizada em 2019. Em novembro, o Daep (Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis) já havia recebido a avaliação, com a manutenção da nota de 9,7.  As notas de 0 a 7 são consideradas com condições inadequadas e a notas de 7,1 a 10 são consideradas em condições adequadas.

Segundo dados da Cetesb, o índice que avalia a qualidade do tratamento dos resíduos foi crescente nos último anos. Em 2015, Penápolis recebeu a nota de 8,4. Em 2016, nota 9, evoluindo para 9,4 em 2017. Já em 2018, o índice atingiu 9,7, a melhor marca já conquistada pelo município, mantida em 2019.

O município de Penápolis é um dos poucos municípios da região que possui um aterro sanitário municipal. O Daep é responsável pela administração do aterro sanitário e outros serviços relativos aos resíduos sólidos. Entre eles, resíduos domésticos, animais mortos, resíduos de serviços de saúde, além do apoio à coleta seletiva, realizada pela Corpe (Cooperativa dos Recicladores de Penápolis). 

O presidente da autarquia, Márcio Wanderley, destaca que este ano é um momento especial, com a aprovação do Novo Marco Regulatório do Saneamento. “O marco estabeleceu um novo prazo para a extinção dos lixões além de prazo para a universalização dos serviços de saneamento. Penápolis atingiu o índice há anos e é considerado referência nacional”, destacou.

Investimentos

O Daep prepara uma terceira célula no aterro sanitário de Penápolis, para a disposição de resíduos domésticos e de varrições. Após o início de operação, a terceira célula do aterro sanitário de Penápolis terá capacidade para receber os resíduos gerados pela população penapolense por pelo menos 10 anos.

As melhorias foram iniciadas em junho, com prazo para conclusão até setembro. O preparo da terceira célula consiste em uma escavação de grande porte com a terraplanagem do espaço. Em seguida são construídos um sistema de drenagem e uma galeria de esgoto para o escoamento do chorume, produzido pela decomposição dos resíduos. 

Atualmente, são produzidas cerca de 38 toneladas por dia de resíduos sólidos, que são dispostas conforme as exigências técnicas da Licença de Operação da Cetesb. Assim que os resíduos chegam ao aterro sanitário devem ser compactados e aterrados de forma contínua e imediata. Com a nova célula, a capacidade de recebimento do lixo doméstico e de varrição será ampliada o suficiente para os próximos 10 anos.

Fonte: Secom – PMP